10 Tendências de Marketing para observar em 2021

Para o alívio de muitos, 2020 chegou ao fim – mas as mudanças trazidas por este ano provavelmente permanecerão em 2021.

Com um foco maior em publicidade digital, eventos online e comércio eletrônico, os pivôs que as equipes de marketing tiveram que adotar em 2020 para acomodar a mudança no comportamento do consumidor servem como sinais de como o marketing continuará evoluindo no novo ano.

Em um relatório, a consultoria norueguesa Meltwater aponta 10 Tendências de Marketing para 2021 que as equipes de comunicação e marketing devem estar cientes para incorporar em seus planejamentos.

Neste documento você vai descobrir:

  • Como os orçamentos de marketing estão sendo redirecionados

  • Em quais plataformas as pessoas prestarão atenção

  • Como a composição das equipes de RP e marketing está mudando

Nunca é demais estar preparado. Então, para elaborar este relatório, foram estudadas as atualizações de algoritmos, mudanças nos gastos com publicidade e aumento de recursos de mídia social específicos para determinar as 10 tendências de marketing que você precisa ficar sabendo.

1 – Maior gasto com publicidade digital

A pandemia de coronavírus acelerou ainda mais a mudança em direção ao marketing digital, tornando o ano de 2020, o primeiro ano em que os gastos com a publicidade digital foi maior do que os gastos com publicidade tradicional no mundo.

Departamentos de marketing em todo o mundo estão migrando seus orçamentos de OOH (-25%), jornais (-21%), revistas (-20%), rádio (-12%) e TV (-11%) para plataformas como Google, Facebook, Pinterest e Twitter.

No terceiro trimestre de 2020, o Facebook viu a receita de anúncios no trimestre aumentar 22% em comparação a um ano atrás, e a receita de anúncios do Twitter aumentou 15% no trimestre.

No geral, estima-se que os gastos com publicidade digital em todo o mundo aumentem em 2,4% este ano para $ 332,84 bilhões, respondendo por 54,1% de gastos totais com anúncios de mídia.

Um desafio importante que os profissionais de marketing precisam observar, é a crescente adoção de bloqueadores de anúncios.

2 – Aumento global do TikTok

O ano de 2020 foi o período em que o TikTok se tornou popular, e os líderes de marketing começaram a se interessar seriamente pela rede social.

A plataforma, que tem cerca de 800 milhões usuários ativos por mês, obteve um total de 315 milhões de downloads do TikTok só nos primeiros três meses de 2020, a maior quantidade de downloads que um aplicativo já recebeu em um único trimestre.

TikTok é um mashup de Instagram, Snapchat, musical.ly e Vine, incrivelmente popular entre a Geração Z e a Geração Y.

O benefício do TikTok para os negócios ainda não é concreto, mas a plataforma vem tentando atrair os profissionais de marketing com a introdução de vários novos recursos estratégicos.

Em 2021 veremos marcas menos avessas ao risco tentarem acertar a mão no TikTok. Um foco especial precisará ser colocado em storytelling, desafios virais e entretenimento como um fator primordial para uma campanha de sucesso neste canal.

3 – O crescimento do Social Commerce

De acordo com os novos dados de Índice do Varejo americano da IBM, a pandemia de coronavírus acelerou a mudança para as compras digitais em cerca de cinco anos.

Estima-se que categorias como remédios, mantimentos, suprimentos domésticos e produtos para cuidados pessoais terão um crescimento de pelo menos 35% nos compradores online.

Com mais pessoas comprando online e se tornando mais confortável com o processo, grande parte dos consumidores estão se voltando para plataformas de mídia social para ajudá-los a descobrir e comprar produtos.

Usuários de mídia social estão se sentido cada vez mais confortáveis para encontrar, avaliar e comprar itens diretamente de plataformas de mídia social.

4 – Uma prateleira de soluções Martech simplificada

Com mais de 8.000 soluções Martech disponíveis (softwares, ferramentas e/ou plataformas de tecnologia para marketing), pode ser difícil para as equipes determinar quais ferramentas e plataformas são adequadas para seus negócios.

Hoje, uma equipe de marketing usa em média de 6 a 10 ferramentas diferentes diariamente, o que representa vários desafios. Uma seleção martech inflada pode levar a custos desnecessários, centros de dados isolados e fluxos de trabalho ineficientes.

É por isso que muitas equipes de marketing começaram a combater excesso de soluções martech, auditando e consolidando o número de soluções que eles usam. Então, em vez de ter uma série de fornecedores pontuais que apenas resolvem um problema específico, as equipes de marketing procurarão plataformas que:

  • Resolva mais de um problema para a equipe

  • Fornece uma visão centralizada de campanhas e dados dos clientes

  • Oferece compatibilidade com outras ferramentas em sua prateleira de martech

  • Analise o desempenho da campanha de marketing omnichannel

No geral, as equipes de marketing estão interessadas em plataformas que oferecem uma solução “all in one” e pode se integrar facilmente com outros ferramentas.

As tecnologias de marketing já são responsáveis por 26% do orçamento total de marketing de uma empresa, portanto, esse olhar é muito estratégico.

5 – Equipes de marketing com background de tecnologia

A tecnologia reformulou a forma como os profissionais de marketing operam no dia a dia. Os profissionais de marketing tiveram que aprender uma variedade de novas ferramentas incluindo soluções de gerenciamento de mídia social, plataformas de e-mail marketing, software de gerenciamento de projetos e muitos mais, tornando as habilidades de marketing digital característica fundamental dos profissionais do setor.

As habilidades mais solicitadas pelos profissionais de marketing incluem marketing de conteúdo, marketing em mídias sociais, análise de dados e Marketing de SEO / SEM.

Cerca de 47% dos compradores B2B consumem entre 3 e 5 peças de conteúdo antes de se envolver com um vendedor, não é à toa que a curadoria de conteúdo e a estratégia estão no topo da a lista. Mas pra todo esse conteúdo aparecer, você precisa de um especialista em SEO, pra fazer as pessoas chegarem a sua Landing Page e assim por diante.

Dada a crescente dependência da tecnologia, mais e mais equipes estão introduzindo a função “Gestor de Tecnologia e Marketing”, que é responsável por gerenciar a tecnologia, dados e recursos.

Existem muitas maneiras de construir equipes de marketing de alto desempenho, e considerar as hard e soft skills é essencial. Habilidades como criatividade, redação, comunicação, pensamento analítico são tão essenciais quanto saber como construir um e-mail ou uma landing page no HubSpot.

6 – Unificação de RP, Marketing e Social Media

As disciplinas de marketing e RP sempre tiveram algum crossover, mas nos últimos anos os dois se tornaram muito mais intimamente entrelaçados.

Desde a explosão das mídias sociais, cenário de relações públicas e marketing mudou e os papéis tradicionais desses dois departamentos foram forçados a se adaptar.

A velocidade com que isso está ocorrendo foi acelerada com a chegada da Covid-19, em face dos diversos eventos que tiveram que ser adaptados do dia pra noite como, por exemplo, as feiras de negócios e lançamentos de produtos, causando uma redundância de iniciativas nos esforços de RP e Marketing fazendo com que os departamentos pensem em formas diferentes sobre como executar a criação de campanhas digitais integradas.

Além disso, organizações mais avançadas também estão cada vez mais usando ferramentas de business intelligence que atuam como centros de comando da marca. Usando APIs para alimentar diferentes dados de ferramentas usadas em mídia paga, ganha, própria e mídia compartilhada, as equipes podem obter uma única fonte de dados confiáveis de seu cliente e marca e trabalhar mais em omnichannel, projetos integrados, holísticos e coesos.

7 – Eventos Online

As principais tendências da economia à distância que continuarão a crescer em 2021 incluem pagamento sem contato presencial, eventos virtuais, trabalho remoto, EAD e telemedicina.

Consequentemente, esta mudança levou a um maior interesse em tecnologias incluindo 5G, AR, VR, AI, automação, aprendizado de máquina e IoT(Internet das Coisas) para nomear alguns.

A indústria de eventos foi um dos setores que imediatamente sentiu o impacto da pandemia e abraçou a economia à distância cedo. Mesmo depois que uma vacina contra o coronavírus for amplamente disponibilizada, os profissionais de marketing ainda abordarão os eventos com uma mentalidade virtual. Embora, certamente haverá mais eventos híbridos em vez de reuniões exclusivamente virtuais.

Para compensar essa mudança, os profissionais de marketing de eventos precisarão investir em aplicativos de eventos móveis e ferramentas de engajamento baseadas na web (que tornaram-se uma infraestrutura crítica). Essas tecnologias também precisarão evoluir para colocar maior ênfase na criação de experiências atraentes, personalizadas e perfeitas para participações remotas.

8 – Micro-comunidades e grupos

Micro-comunidades sempre existiram, mas sua importância aumentou para usuários e marcas durante a pandemia. Do ponto de vista do consumidor, as micro-comunidades nos ajudam a sentir-se parte de algo. A intimidade de um ambiente menor nos permite compartilhar de forma mais aberta e autêntica. Então, essas comunidades passam a atuar como espaços seguros que fomentam diálogos íntimos e honestos.

Uma micro-comunidade é um segmento de seu público maior que compartilha ideias semelhantes (valores, interesses, pontos de vista, estilos de vida, propósito, experiências, gatilhos de compra, etc.).

Para as marcas, as micro-comunidades também são grandes oportunidades de negócios. Elas podem impulsionar relacionamentos pessoais mais profundos, lealdade e até mesmo vendas. As marcas podem usar esses fóruns como uma caixa de ressonância para ouvir seu público, criando um ciclo constante de feedback.

Mas como você se integra a essas comunidades?

O marketing deve identificar como as comunidades começam através da compreensão de grupos menores de pessoas que compõem seu público e as postagens que são compartilhadas e estão conectando-os. A seguir, é preciso descobrir onde esses grupos de nicho de pessoas estão se comunicando. (Micro-comunidades tendem a existir em privado nos Grupos do Facebook, aplicativos de mensagens como Whatsapp e Telegram, Tópicos do Reddit, etc.). Depois de saber onde seu público está reunido você poderá criar mensagens individualizadas para cada subgrupo.

Lembre-se, o objetivo é interagir com comunidades sem interromper as conversas, você não quer ver sua marca CANCELADA. Você pode fazer isso se vinculando a um conteúdo valioso, lançando campanhas, estabelecendo autoridade respondendo à perguntas e em parceria com micro-influenciadores relevantes que normalmente geram seguidores leais em torno de tópicos de interesse específicos.

9 – Marketing com Propósitos

Os Millennials e A geração Z é orientada para um propósito e, uma vez que estas gerações combinadas logo formarão dois terços do população global, é do interesse de uma marca se alinhar com suas atitudes e se tornarem melhores cidadãos corporativos.

Hoje em dia, os consumidores não compram apenas um produto ou serviço; eles compram uma ideia. Representando algo significativo, as marcas podem falar ao coração de seu público e cabeças criando conexões e experiências que sobreviverão à vida útil de qualquer campanha.

Por esta razão, as empresas orientadas para o propósito testemunham maior share de mercado e crescem 3 vezes mais rápido do que seus concorrentes. O propósito é a âncora que traz os negócios e a sociedade juntos, mas a marca deve primeiro estabelecer um valor compartilhado com seu público para que isso aconteça. Isso exige que as empresas entendam o que leva seu público a um nível mais profundo e emocional.

10 – Stories e vídeos curtos

Snapchat, Twitter, LinkedIn, Instagram e Facebook, todos introduziram maneiras de compartilhar imagens ou conteúdo de vídeo que desaparece após 24 horas, e os usuários de mídia social são fãs do formato.

Na verdade, as pessoas estão postando menos em seus feeds por causa da popularidade dos Stories. Um estudo recente descobriu que os influenciadores agora estão postando em seus feeds um terço a menos do que postavam em 2016. Isso significa que a barra de Stories é o novo feed? Talvez.

De acordo com Deloitte Digital, quase 40% dos americanos gastam mais de uma hora por semana assistindo a clipes de vídeo curtos nas redes sociais. Mas, isso não significa que eles são necessariamente assistindo sua história inteira.

A pessoa média só assiste 40 a 60% da sua história. Isso significa que, como marca, você quer ter certeza de que seu CTA não aparece no final. O mesmo pensamento se aplica a anúncios precedentes no YouTube, você não quer que as pessoas assistam

5 segundos do vídeo para perder qual marca, produto ou serviço estava sendo promovido porque clicaram no botão “pular anúncio”.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

× Como posso te ajudar?
Layout Agência de Marketing São Paulo